por Juliana Damazio

O medo da água

O medo do câncer

O medo da solidão

O medo de que ela nunca mais volte

O medo do sangue contaminado

O medo da epilepsia

O medo de que o pau não levante

O medo de que os dentes apodreçam enquanto a boca continua

O medo do elevador

O medo da prestação do carro

O medo dos loucos

O medo da fila do supermercado

O medo de que o carro não pegue

O medo de que os cabelos caiam

O medo de perder o ônibus

O medo de que o filho seja viado

O medo disso o medo daquilo o medo dos outros e de tudo

Mas o cabelo entope o ralo

e a lâmina afiada dilacera o olho

 e o café mancha a roupa

 e a merda volta pelo vaso

e o caco encontra a carne

 e do nariz escorre o ranho

 e a cidade fede

 e o corpo treme

 e a boca acorda amarga

e o edíficío desaba

 e o tapa encontra a cara

 e a mosca lambe a ferida

e o rato se prolifera

e as larvas passeiam pelo corpo

e essas formigas a nos devorar sem repouso.

Anúncios