Susan, saiba os meus nomes

por Juliana Damazio

São três os meus nomes:             Juliana.                    Catarina.                       Ellena.
   
O primeiro nome me foi dado por outra mulher e assim eu o tenho aceitado por todos estes anos. 
O segundo eu inventei assim que o primeiro se tornou limitado e incapaz de lidar com as experiências que surgiam.
O terceiro foi uma descoberta íntima, uma iluminação. Apareceu entre os meus dentes enquanto eu me encontrava em estado de êxtase durante um show. 
 
E cada nome goza de uma maneira diferente.  

“” A vinda do orgasmo mudou a minha vida. Fui libertada, mas não é esta a maneira de dizer isso. Mais importante: me estreitou, limitou as possibilidades, tornou as possibilidades mais claras e definidas.  Não sou mais ilimitada, ou seja, nada.                                                                                                                                                                                                                                                     O orgasmo põe em foco. Eu anseio por escrever. A vinda do orgasmo não é salvação, porém, mais que isso, o nascimento do meu ego. Não consigo escrever antes de achar o meu ego. O único tipo de escritor [ que eu] poderia ser é o tipo que se expõe… Escrever é consumir a si mesma, apostar a si mesma. Mas até agora eu não consegui gostar nem do meu próprio nome. Para escrever, tenho de amar o meu nome. O escritor vive apaixonado por si mesmo… e faz seus livros a partir desse encontro e dessa violência.”   Susan Sontag (Diários – Pg. 235)

Anúncios